Theme Layout

Theme Translation

Trending Posts Display

14/Destaques/grid

Home Layout Display

Posts Title Display

404

We Are Sorry, Page Not Found

Home Page
Um casal de agricultores procurou uma radio de Brumado-BA no centro-sul da Bahia, para relatar uma indicação de emprego em uma fazenda de Brumado e pedir ajuda para conseguir rentona a Casa Nova, que acabou não dando certo. Natural da cidade de Casa Nova, O casal soube da vaga de caseiro através de um caminhoneiro. Diante da oportunidade, eles foram até a cidade de Brumado para ter uma chance de trabalho, devido ao desemprego que atinge o país. 

[post_ad]
Segundo o casal, o caminhoneiro indicou a proposta de trabalho, mas quando chegaram na cidade, o sonho de renda do casal se tornou um pesadelo."Rodamos cerca de 800 km de nossa cidade natal para Brumado. Além disso andamos mais 30 km para chegar até aqui. Quando fomos conversar com o dono da fazenda, ele disse que não pagaria salário, mas apenas estadia e comida", relatou Hebert Costa da Cruz, de 42 anos.

 Ainda segundo o agricultor, mesmo se fosse a metade do salário ele ficaria, mas por apenas comida, ele não poderia ficar. Pois tem dois filhos para criar. "Eu queria ganhar alguma coisa, mesmo que não fosse um salário mínimo, mas só comida não conseguimos viver eu e minha esposa, além dos meus filhos que ficaram em Casa Nova", lamentou o agricultor. 

Sem recursos e condições, o agricultor e sua esposa Tereza Cristina Abreu, de 60 anos, contaram com a ajuda da Radio local (Rádio Alternativa) para tentar retornar à Casa Nova. "Passamos muito sufoco na estrada para chegar aqui e ficar nesta situação. Não desejo pra ninguém isto", disse emocionada.

Cristina, tem esperança de conseguir um novo emprego para ajudar os dois filhos, um de 15 e outro de 9 anos que moram com uma irmã no município de Casa Nova."Nossa ideia era trabalhar aqui e depois trazer eles para cá, mas temos que ir em busca de novas propostas", afirmou Tereza que conseguiu junto com o marido, passagem para a cidade de Teixeira de Freitas onde um tio de Hebert. "Vamos tentar mais uma chance lá, ao menos não passamos fome, porque tenho parentes na cidade. Obrigado a todos que nos ajudaram com a passagem", agradeceu o agricultor.